13 de maio de 2009

Levitas ou Ídolos?

11 comentários

Queridos leitores e amigos,


Recentemente uma amiga e irmã chamada Obed me incentivou a escrever esse artigo. Muitos não concordarão com minha posição, no entanto precisamos parar e refletir e analisar para onde temos ido com esse evangelho mercenário.


Não podemos negar a contradição em que vive a música cristã que atualmente chama-se música “gospel”. O universo gospel invadiu o Brasil, pois hoje qualquer música que não seja, do cantor cristão, da harpa cristã e entre outros, recebe o nome inglês de gospel, que traduzido quer dizer evangélico.


Não vejo nenhum problema nisso, mesmo porque a mensagem que a igreja evangélica passou ao longo de sua história, é uma mensagem de afastamento de pessoas. Como exemplo: crente não celebra natal; mulher crente não pode cortar cabelo; homem crente tem que usar terno e gravata para cultuar a Deus; o instrumento de bateria, guitarra, ou qualquer outro instrumento é coisa do diabo; ninguém pode bater palmas na igreja; etc. Diante de tudo isso a sociedade começou a ver nos crentes, pessoas alienadas, socialmente alienadas. No entanto algo começou a ser ventilado em nosso meio: “Como atingir a classe média, que está acostumada a uma vidinha um pouco melhor, que a classe pobre? E como atingir os ricos que tem uma vida melhor ainda?” Então a partir de 1980 a música passa a ser um meio pela qual muitas pessoas das classes A, B e C começaram a ser atingidas.


O fato porém que se constata, é que o universo da música gospel ganhou qualidade e notoriedade no mundo secular, de tal modo que muitos artistas seculares, que cantavam no “mundo” passaram a cantar nos púlpitos de nossas igrejas; além disso, os nossos louvores que seguiam um ritmo clássico de canto gregoriano, deram vez para novos ritmos como o regue, rock, pop, samba, pagode, hip-hop, sertanejo e hoje o batidão do funk. E ainda para completar esse “caldo” muitos e não foram poucos, se enriqueceram materialmente com isso.


Qualquer cristão que tem o mínimo de conhecimento bíblico entende que Deus odeia a idolatria. Em 1 Coríntios 6:9 Deus alerta que os idólatras não herdarão o Reino dos céus. Em outra parte das escrituras lemos: “Não terás outros deuses diante de mim”. (Êxodo 20:3)

Também é verdade que a Igreja precisa ter modelos, precisa ter exemplos de vida com Deus, exemplos em todas as áreas de liderança, pastoral, nas artes, missões etc. A estas pessoas chamamos de referenciais. Paulo era um referencial de sua época: “Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam”. (Filipenses 3:17). Precisamos ter líderes que nos dirijam, que nos abençoem, que nos ajudem a chegar aos níveis já alcançados por eles, que nos dêem um norte em Deus.

Referenciais têm um enorme poder de influência sobre as pessoas como um todo. É por isso que quando algum destes referenciais cai em pecado, muitas pessoas caem em desilusão e os mais fracos tendem a abandonar a fé. Em geral, o povo é abalado quando um líder ou um referencial de grande influência comete falhas em público. E quanto maior a “bomba”, maior é o estrago.

Um erro grandioso que a Igreja de hoje tem cometido e sofrido sérias conseqüências é o pecado da idolatria. E fazemos isso dando uma série de boas desculpas esfarrapadas. Por exemplo, quando quero idolatrar meu cantor gospel preferido, exaltando-o sobre as alturas, falo às pessoas que ele é um grande homem de Deus, um referencial para mim. Aí faço desta pessoa meu ídolo, tendo em casa um altar para ele, com todos os seus CDS e livros, com todos os seus artigos escritos, com uma foto autografada, uma camisa do fã-clube e outros apetrechos que farão parte do meu devocional a este ídolo. Assim a pessoa acaba se tornando um idólatra, tornado seu próprio irmão na fé num deus.


Não há outras palavras para se dizer uma verdade dura que já está sendo ecoada no Brasil: a Igreja brasileira fez de seus referenciais grandes ídolos como o bezerro de ouro erguido pelo povo de Israel no deserto (Êxodo 32:4). Isto nós fizemos e por isso estamos pagando um preço tão caro.

A Idolatria Evangélica Gospel Brasileira permitiu este show de horrores:

- Ídolos gospel que não “ministram” por menos de 15, 20, 30 mil reais.
- Ídolos gospel que decidiram por loucura própria fazer uma lista de exigências que nem Jesus, Paulo ou João fizeram quando exerciam seu ministério: hotéis 5 estrelas, frutas tropicais, água mineral de marcas específicas, dezenas de seguranças, carro blindado...

- Ídolos gospel que são indiferentes e preconceituosos com certas cidades, regiões, raças, e condição espiritual. Por exemplo: tem gente que não “ministra” em certos lugares porque há muita frieza espiritual, eles só querem “ministrar” em lugares que já estão “avivados” e em templos lotados.
- Ídolos gospel que se isolam da liderança espiritual de sua igreja para não precisar responder a ninguém sobre seus trambiques e pecados. Aparentemente chegaram num nível tão alto que não precisam mais de pastor e de igreja para acompanhá-los, agora podem caminhar sozinhos. Por isso temos visto tanto insubmissão e rebeldia em “ministério grande”.

Quem é o responsável por este show de horrores? Quem é o culpado? Penso que o culpado somos todos nós que fazemos parte da igreja pois temos alimentado nossos ídolos. Damos a eles o que eles pedem, e é por isso que as exigências aumentam a cada dia. Enquanto pagamos 25 mil reais pra um irmão cantar num evento, deixamos missionários morrerem de fome aqui no Brasil e lá fora. Quanta hipocrisia!


Quanto Jesus cobrou para exercer seu ministério e morrer na cruz por nós? Qual foi o cachê que Paulo cobrou para ser aprisionado junto com Silas nas piores prisões da época? Quais foram as exigências de nossos irmãos que morreram recentemente na China por não negarem o Evangelho? Quantas viagens Paulo negou por não atenderem suas exigências?

Uma coisa é certa, precisamos valorizar o belo, a arte e a cultura alicerçada na Bíblia, pois isso, é um dom de Deus; a música que faz parte dessa cultura está recheada nos textos sagrados; negar é entregar na mão do diabo aquilo que nos pertence, não obstante, ser um universo vulnerável aos intentos dele, pois, ele próprio, o diabo, queria pra ele todo o louvor. Se o cantor “gospel” desconhece isso, lamento, sua canção alentará a carne, e matará o espírito; e se a igreja não reconhecer o valor dos músicos que compõem músicas que nos ajudam na adoração a Deus, é avarenta e injusta e mesquinha, e se um cantor gospel maximinizar o famoso cachê em troca da comunhão, não é um adorador, mas, um artista que vive da música desvinculado de Deus, é hipócrita.


Deus, continua, procurando verdadeiros adoradores que o adorem em Espírito e em Verdade. Que abram mão de sua fama, de sua glória, de sua posição e de sua renda, entregando tudo isso à Ele, fazendo dEle o nosso maior Ídolo, pois somente Ele é merecedor de nossos aplausos e de toda Glória.


Amém?


Pr Elder Cunha

Referência: Site Vivos

Dúvidas? Escreva para mim: eldersacal@hotmail.com

Comments

11 comments to "Levitas ou Ídolos?"

Luclécia Silva disse...
13 maio, 2009 15:07

Graça e paz Pr. Elder!
Excelente postagem.
Isso é preocupante e de fato os maiores culpados de as coisas chegarem a esse nível fomos nós mesmos.

Faço parte de um ministério de Louvor e sempre andamos nos policiando para ver onde está o nosso coração. Se é pra conduzir o povo a adoração ou se é pra se exibir.

Deus procura verdadeiros adoradores porém os falsos estão em toda parte.

Fica na paz!

Matias Borba disse...
13 maio, 2009 16:32

Caro Pr. Elder,
Paz do Senhor!

Muito bom seu texto, é de esclarecimentos assim que precisamos a cada dia pois os dias já são maus.

Em Cristo, nosso amado mestre,
Matias Borba!

Deus abneçoe

miriam disse...
13 maio, 2009 20:26

Pr.Elder, a paz do Senhor!
É um realidade que precisa ser conhecida por todos os cristãos que acompanham esse movimento,um trabalho feito no campo missionário de um país ou até mesmo aqui não é reconhecido, ninguém vê, ninguém quer saber...agora elevar o ego e status dos megacantores isso não é preciso nem pedir!Que sejamos verdadeiros em tudo.

Pr Elder Sacal Cunha disse...
13 maio, 2009 20:59

Miriam o que falta, em nossos dias, é autenticidade à Igreja de Cristo. É vivermos a Palavra de Deus e não apenas prega-lá ou cantarola-lá. Sejamos transparentes em tudo

Deus a abençõe
Pr Elder

claudio pimenta disse...
13 maio, 2009 22:15

Parabens pelo otimo blog! que materia fenomenal sobre esse absurdo que tem contaminado a igreja evangelica no brasil

Juber Donizete Gonçalves disse...
14 maio, 2009 07:59

Muito pertinente sua postagem. Parabéns pela abordagem do tema. Obrigado pela visita ao meu blog.

Grande abraço.

Pr Edmilson disse...
14 maio, 2009 11:27

Parabens pela postagem e pela forma como abordou o tema. Que Deus continue te usando.

Abração

Luclécia Silva disse...
14 maio, 2009 11:58

Graça e paz mais uma vez!
Estou indicando seu blog para o selo: somos mais do que vencedores. Passa lá no blog para pegar.
http://lucleciasilva.blogspot.com/2009/05/2-selo.html
Deus te abençoe!

Pr Elder Sacal Cunha disse...
14 maio, 2009 12:15

Obrigado minha amiga Luclécia pela lembrança e consideração
Pr Elder Cunha

Ricardo disse...
15 maio, 2009 12:18

Paz do Senhor. Sou webmaster do Gospel Home Blog e gostaria de fazer uma parceria com esse óimo blog. Já inseri um banner fixo em meu Blog. Gostaria que colocasse no espaço Parceiros um banner do meu Blog.

Que Deus em Cristo te abençoe cada vez mais.
www.gospelhomeblog.blogspot.com

(ps.: não publique esse comentário)

Joao Paulo disse...
25 setembro, 2009 14:08

ola caro irmao , parabems pelos artigos sao uma bençao e que bom ainda á pessoas que guarda a fé

DEUS TE ABENÇOE !

On Line

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo
 

Copyright 2008 All Rights Reserved Revolution Two Church theme by Brian Gardner Converted into Blogger Template by Bloganol dot com

^