31 de maio de 2009

O mundo tenebroso dos videogames

4 comentários

O perigo não está mais do lado de fora de nossas casas, muito pelo contrário. A "febre" atual entre os adolescentes e jovens, é o mundo dos videogames.

Criado em 1958 pelo físico Willy Higinbotham, conhecido como o pai do videogame, essa mania conquistou o mundo em tão pouco tempo. A revista Veja (21 de julho de 2004) mostra que a indústria do entretenimento cresce mais do que a economia global e o segmento que mais deve aumentar no mundo, é o dos videogames.

Diante desse quadro nos vale alertar o que está por trás da maioria dos games. Os games não escaparam da onda do ocultismo. Diversos jogos foram poluídos com o conteúdo negro retirado do abismo. É como se a tampa do inferno se abrisse e de lá retirasse toda podridão e se colocasse nos jogos. Basta ir a qualquer loja de brinquedos no setor de videogames e verificar suas prateleiras, logo acharemos uma série de jogos afundados no atoleiro das trevas com imagens de monstros endiabrados, com tridentes e lancetas. E não pára por aí, mais uma pequena olhada e identificaremos alguns jogos violentos, onde quem mata, rouba e agride é o jogador.

Muitos dos cenários dos jogos são escuros, sujos, grudentos e sarnentos, cheios de larvas e sangue, muito sangue jorrando. O sangue explodindo das tripas espirra na tela, avermelhando a visão. Há alguma coisa errada com esses jogos! Por que há tantos demônios neles? Por que o inferno e a criminalidade são tão valorizados? Por que se estripa tante gente? O diabo chega a ser o herói do enredo. Há um enobrecimento da violência e um empobrecimento da dignidade e do belo.

Sabemos que tudo isso é uma artmanha de satanás para poder influenciar a mente e a vida de nossos filhos. Como já comprovado cientificamente, muitos jogos proporcionam às crianças um comportamento agressivo, podendo fazer dela um adulto agressor. Durante as últimas três décadas, a taxa de suicídio entre adolescentes quadriplicou coincidindo com a "era dourada" dos games.

Mas como um simples jogo pode influenciar uma pessoa? A interatividade visa a nossa imersão pelos cinco sentidos em mundos virtuais cada vez mais realistas. Você é convidado a passar para o outro lado da tela e interagir com os personagens, provocando uma espécie de osmose, ou seja, você acaba se unindo ao jogo (fusão de identidades). Uma criança não é capaz de reconhecer, como um adulto, a diferença entre a fantasia e o real, podendo essa assumir o papel do game em sua vida.

Um aspecto importante inserido dentro dos games é a mensagem subliminar, modo de sabotar a mente das crianças. Ela é plantada de forma camuflada no inconsciente afim de influenciar as ações e convicções da pessoa. A maioria dessas imagens são apresentadas através de símbolos que agridem diretamente a santidade de Deus, pois são imagens ligadas a feitiçaria e outras divindades.

Os games violentos e bizarros apresentam uma série de perigos à uma criança, podendo trazer: isolamento do convívio social; comportamentos agressivos; os jogos violentos induzem à imitação; indiferença entre real e fantasia; vício; problemas psicológicos; hipnostimos; laços perigosos, pois a criança desde cedo aprende a conviver com demônios; banalização da violência onde os crimes mais hediondos passam a significar coisas simples e banais.

Segundo a Palavra de Deus, o contato com um conteúdo negativo corrompe os bons valores (1 Co15.33) e isso é o que satanás tenta fazer: nos distanciar de Deus através de seus meios.

...e não dêem lugar ao Diabo. Livrem-se de toda amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, bem como de toda maldade. Portanto não participem com eles dessas coisas. Porque outrora vocês eram trevas, mas agora são luz no Senhor. Vivam como filhos da luz (Ef. 4.27 e 31;5.7-8)
Estudo elaborado por Elder Cunha
Referência: Coleção a atração perigosa, Édino Melo

Leia mais >>

27 de maio de 2009

7 Sinais da volta de Cristo

3 comentários

Olá meus amigos e leitores a cerca de 2 anos atrás tive a oportunidade de participar de um curso sobre a matéria Escatologia (estudo dos últimos tempos) e desde então tenho meditado nesse assunto. Afirmo, de passagem, que é um dos estudos mais fantásticos da Bíblia Sagrada, pois a cada dia descobrimos que Jesus está voltando.

Não sabemos a hora e o dia que Ele voltará, somente Deus. Entretanto ao longo das eras podemos presenciar alguns sinais de Seu retorno registrados na Palavra de Deus. Certa vez os discípulos de Jesus perguntaram: "Que sinal haverá da tua vinda e da consumação do século?" (Mt 24.3)

Israel: O Grande Sinal - o primeiro e mais importante sinal, o reajuntamento dos judeus em Israel depois de aproximadamente 2000 anos de peregrinação pelo mundo. Nenhuma nação na história pôde manter sua identidade nacional depois de ter sido expulsa de sua pátria por cerca de 500 anos. Israel é a única. Ele prometeu tantas vezes reunir novamente essa nação em sua terra nacional, que se falhasse em fazê-lo, Ele teria destruído a fidelidade de Sua Palavra profética (Veja Ezequiel 36 e 37). Em 14 de Maio de 1948 fora fundado o moderno Estado de Israel.

Conflitos de Capital e Trabalho - O maior medo dos banqueiros e corretores de ações é um colapso financeiro que seria uma repetição da Grande Depressão dos anos 1930. A razão com que as pessoas se vêem tão amedrontadas com a atual crise financeira é por causa da dependência das posses materiais, onde deveriam aprender depender de Deus. Esse problema baseado na ganância virá a tona nos últimos dias, demonstrando um grande conflito entre as classes sociais. Tudo isso que assistimos hoje, é o cumprimento da profecia para os últimos dias. (Veja Tiago 5.1-6)

Aumento do Conhecimento - Em Daniel 12.4 temos "Muitos o esquadrinharão e o saber se multiplicará". A maioria dos estudiosos de profecias relaciona isso ao óbvio - um aumento de conhecimento no final das eras. Nunca na história da humanidade houve tantos meios de comunicação, meios de tecnologia, aumento do saber no setor da medicina e demais áreas.

Sistema Único de Governo Mundial - Em muitas ocasiões, vários lideres mundiais têm argumentado que um sistema único de governo seria a única maneira de garantir a paz mundial. Temos visto tais expressões na tentativa de organizar a Liga das Nações em 1919, logo após a Primeira Guerra Mundial, e na fundação da Organização das Nações Unidas em 1947. Hoje tal organização está tentando assegurar mais poder de governo sobre a soberania das nações independentes. Embora não saibamos exatamente quais eventos nos levarão ao sistema único de governo predito na Bíblia, sabemos que nos últimos dias haverá um governo munidal (Daniel 2.40-43; 7.23-24)

Temos outros sinais que a Bíblia nos evidencia tais como: Apostasia da fé em 2 Timóteo 4.1-4; Aumento do ocultismo 2 Timóteo 4.3-4; Aumento dos escarnecedores em 2 Timóteo 3.1-5. Alguns estudiosos das profecias sugerem que hoje, há mais de 20 sinais e como já afirmado anteriormente não sabemos se Cristo virá nesta geração, mas uma coisa é certa Ele está voltando.

Mateus 24.27 "Porque assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até no ocidente, assim há de ser a vinda do Filho do Homem"

por Elder Cunha

Leia mais >>

26 de maio de 2009

Satanás: seu passado, presente e futuro

2 comentários

Amigos e leitores quem nunca ouviu falar na expressão "Batalha Espiritual" ? Essa expressão, atualmente, tem arrastado inúmeras pessoas à uma falsa concepção da realidade acerca do mundo espiritual, além de trazer a inversão de alguns papéis. O nome em si já sugere do que se trata: é um movimento cuja ênfase maior é na luta da Igreja de Cristo contra Satanás

Hoje iremos abordar um assunto extremamente polêmico: "Satanás: Seu passado, presente e futuro." O objetivo desse estudo é evidenciar que nosso inimigo já está vencido por Cristo Jesus, no entanto seu trabalho é dificultar a Sua obra e levar consigo, o máximo de pessoas para o lago de fogo. A Palavra de Deus nos alerta: "Sede sóbrios e vigilantes. O diabo vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar. " ( I Pedro 5.8)

A origem de Satanás
- Ninguém sabe com certeza quando fora criado, mas de uma coisa podemos ter certeza: ele é um ser criado por Deus. Ele pode pensar que é deus, mas somente Deus pode criar. Alguns estudiosos acreditam que ele foi criado antes da terra em eras passadas, contudo outros acreditam que ele fora criado durante os dias da criação do mundo.

Evidentemente Satanás era a mais bela das criaturas do céu. Foi colocado no jardim de Deus e sua atribuição era o "querubim da guarda ungido". Muitos acreditam que ele comandava os anjos ante o trono de Deus e outros ainda que ele recebera domínio sobre toda terra. Ele tinha livre arbítrio, beleza e sabedoria, mas de alguma forma o mal surgiu em seu coração (Ezeq. 28.14 em diante). Em vez de adorar a Deus, ele almejou ser adorado como Deus e isso o levou à queda: "Como caíste, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação, me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo" (Is 14.12-14)

Desse tempo em diante, tem perdurado o conflito das eras entre Deus e Satanás, pelas almas dos homens. Embora não saibamos exatamente porque Deus permitiu esse conflito, sabemos como ele irá terminar. Cristo virá novamente para estabelecer Seu reino e Satanás será peso no profundo abismo, por mil anos e depois derrotado para sempre (Apoc 19 e 20).

A obra de Satanás no presente - O desejo de Satanás é fazer que as pessoas sigam a ele e não a Deus. Assim como ele levou uma terça parte dos anjos dos céus a segui-lo em rebelião, ele tem levado bilhões de pessoas na terra a fazerem o mesmo. Foi assim no Jardim do Éden quando leva o homem a cair comendo o fruto da árvore proibida e introduzindo o pecado no mundo; Foi assim nos dias de Adão até o Dilúvio quando tentou corromper a linhagem pura dos filhos de Deus; Foi assim na Torre de Babel quando inspirou o homem a estabelecer uma religião idólatra universal e impedir a humanidade de adorar a Deus; Foi assim com a tentativa de eliminar a raça hebraica, quando reconheceu que o Messias viria por meio dessa raça, decidiu destruir todos os judeus enquanto estavam confinados no Egito; Foi assim com a tentativa de matar o Messias, quando lançou um ataque contra o menino Jesus quando Herodes mandou matar todos os bebês em Belém. E é assim até os dias de hoje, onde tenta destruir a Igreja de Cristo, através da perseguição e falsos ensinamentos. Nenhuma organização religiosa tem sido tão atacada quanto a Igreja. Há uma estimativa de que 500 milhões de cristãos foram martirizados durante os últimos 2000 anos, entretanto a Igreja ainda é a maior instituição religiosa do mundo. Quanto aos falsos ensinamentos, Satanás tenta enganar os seres humanos para que não creiam em Deus e venham a agir à sua própria maneira. (tomem cuidado com esses novos ensinamentos e doutrinas, certamente não são de Deus, pois o tudo já fora revelado e ensinado).

O futuro de Satanás - Durante os sete anos da Tribulação, Satanás irá perseguir toda a humanidade não arrebatada impiedosamente por meio de muitos falsos mestres. Satanás conhece e compreende a profecia, portanto sabe que Cristo virá novamente, mas seu egoísmo extremo o leva pensar que pode impedir a vinda de Cristo. No final da Tribulação, Satanás reunirá os exércitos do mundo para batalhar contra Cristo - na que promete ser a maior batalha da história da humanidade. Depois da batalha, na qual será derrotado, Satanás será lançado no profundo abismo onde estará preso por mil anos, assim não poderá enganar as nações até se completarem os mil anos. No final do reino milenar, Satanás será solto pela última vez para enganar a humanidade e liderar uma última rebelião contra Deus, porém desta vez será lançado para dentro do lago de fogo e enxofre e para sempre estará derrotado.

Meu querido irmão se mantenha firme na Palavra de Deus e quando Satanás lançar setas em sua mente fazendo você olhar para o seu passado...Diga à ele o que o espera no futuro! Em Cristo somos vencedores

Por Elder Cunha

Leia mais >>

25 de maio de 2009

As dispensações

0 comentários

Olá amigos e leitores estamos de volta e hoje postando mais uma matéria sobre escatologia.

Um assunto de certa importância e para maior compreensão da Bíblia Sagrada chama-se: as Dispensações.

O dispensacionalismo vê o mundo e a história como uma casa dirigida por Deus. Neste mundo Deus está conduzindo ou administrando os negócios de acordo com Sua vontade e em várias fases de revelação. Essas fases são conhecidas como as dispensações. É importante destacar desde logo que as dispensações não têm nada a ver com o modo como as pessoas são salvas de seus pecados.

De acordo com a perspectiva bíblica, o que são as dispensações ou eras da história? Há sete dispensações que podem ser deduzidas da Palavra de Deus, sendo elas:

  • Inocência (Gen 1.28-3.6): esta foi aparentemente a mais curta das dispensações e terminou com a queda de Adão e Eva.
  • Consciência (Gen 3.7-8.14): a palavra consciência usada para descrever esta dispensação é encontrada em Rom 2.15, que descreve o tempo entre a queda e o Dilúvio.
  • Governo Humano (Gen 8.15) Depois do dilúvio, Deus disse que não julgaria diretamente o homem até a segunda vinda de Cristo. Dessa maneira, uma agência humana conhecida como governo civil foi divinamente estabelecida para mediar e tentar refrear o mal dos homens.
  • Promessa (Gen11.10 - Ex.18.27) Este período é determinado pelo chamado de Abraão e pela promessa feita a ele e aos seus descendentes, físicos e espirituais.
  • Lei/Israel (Ex 19- João 14.30): Israel não foi e nunca seria salvo por guardar a Lei. Pelo contrário, a lei estipulava como eles deveriam viver. Ela deveria governar cada aspecto de suas vidas. Mas a lei era temporária até se cumprir em Cristo, por ocasião de sua vinda.
  • Graça/Igreja (Atos 2.1 - Apocalipse 19.21): A lei da vida para a igreja é a graça, e através de Jesus, a graça de Deus se estende a todos, por todo o mundo, por meio do evangelho.
  • Reino (Apocalipse 20.1-15): Durante o reino milenar do Messias, em Jerusalém, as promessas que Deus fez a Israel como nação serão cumpridas. A igreja também reinará e governará com Cristo como Sua noiva, os gentios também colherão grandes bênçãos.

A teoria da dispensação capacita-nos a compreender corretamente o horário profético de Deus para a história. A era atual enfoca a igreja, e não Israel, como instrumento por meio do qual Deus agora opera. Em breve essa igreja será arrebatada da terra e Deus começará a cumprir tudo o que prometeu a Israel, ou seja, o fim está mais próximo do que você imagina.

"Bem-aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as cousas nela escritas, pois o tempo está próximo" (Apoc. 1.3)

Por Elder Sacal Cunha

Leia mais >>

Desmascarando o Catolicismo

9 comentários

Olá queridos leitores, a pedidos estarei postando hoje um estudo apologético que abrange a religião denominada Católica.

Em primeiro plano a Bíblia nos adverte em 1 Timóteo 4.1-4 o seguinte: "Ora, o Espírito afirma expressamente que nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras, e que têm cauterizada a própria consciência, que proíbem o casamento, exigem abstinência de alimentos, que Deus criou de graça, pelos fiéis e por quantos conhecem plenamente a verdade; pois tudo que Deus criou é bom, e recebido com ações de graça, nada é recusável."

É muito comum encontrarmos nas publicações da Igreja Católica, principalmente nos panfletos populares o seguinte o termo: "A Igreja católica apóstólica romana foi fundada por nosso senhor Jesus Cristo, em Jerusalém, por volta do ano 29 d.C e as demais denominações foram inventadas por homens". Isso o fazem para persuadir aos seus leitores de que o Catolicismo Romano veio de Deus e as demais denominações dos homens.

Sabemos que o Catolicismo Romano é um dos três ramos do Cristianismo, juntamente com os Protestantes e Ortodoxos e não é necessário, sequer, estudar os dogmas da Igreja Católica para se perceber o seu desvio do Cristianismo autêntico, basta assistir a uma missa. Todo aquele aparato e ritual é característica do paganismo, pois ninguém encontra esse modelo de culto no Novo Testamento. No culto judaico, do Antigo Testamento, havia um certo ritual rígido por causa do significado e da simbologia com a vida e a obra do Messias, isso está explicado na carta aos Hebreus. Além disso, esses ritos judaicos eram apenas no tabernáculo e depois no templo de Jerusalém, nunca nas sinagogas. Nada há em comum entre a missa da Igreja católica e o culto cristão, registrado no Novo Testamento.

Não tenho a intenção de atacar nenhuma religião, pois devemos amar e respeitar a todos. Muitos deles são tementes a Deus e estão preocupados com a salvação. O problema é a mentira que fora plantada dentro de seus corações e por isso precisamos reenvangelizá-los. É dever de todos respeitar a religião do próximo e ser apologista não é sinônimo de desrespeitar a outra religião ou lideres.

Mentiras ensinadas pela religião Católica

O Culto aos santos e Mariolatria
Há alguma diferença entre adorar e prestar culto? Prostrar-se diande de um ser, dirigir a ele orações e ações de graça, fazer-lhe petições, cantar-lhe hinos de louvor, se não for adoração, fica difícil saber o que os papistas entendem por adoração. Chamar isso de simples veneração é subestimar a inteligência humana. A Bíblia nos ensina que há um só mediador entre Deus e os homens - Jesus Cristo 1 Tm. 2.5), entretanto, a religião católica aprendeu a orar pedindo a intercessão a Maria.

A Bíblia proíbe fazer imagens de escultura "Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagens de escultura, nem de alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem embaixo da terra, nem nas águas debaixo da terra Não te encurvarás a elas e nem as servirás, porque eu, o Senhor, teu Deus, sou Deus zeloso". (Êx.20.3-5)

A Bíblia condena terminantemente o uso de imagens e esculturas como meio de cultuar a Deus ou aproximá-lo dEle. Esse culto à luz da Bíblia, desclassifica o catolicismo romano como religião cristã, não tem nada haver com o Cristianismo. É pura idolatria! "Filhinhos, guardai-vos dos ídolos" (1 Jo.5.21)

O livro publicado em mais de 80 línguas e conhecido como "As Glórias de Maria", atribui a Maria toda honra e toda glória que a Bíblia confere ao Senhor Jesus Cristo. Chama Maria de onipotente e por outros atributos divinos, chega até mesmo afirmar que o próprio Deus está sujeito à ela, sendo está nossa única advogada no ceú. (pág 162)

O Senhor Jesus ensinou o contrário, Ele disse: " É-me dado todo o poder no céu e na terra (Mt 28.18)", sendo assim é Jesus o Todo Poderoso e não Maria. Apóstolo deixou registrado em Filipenses 2.9-11 que nosso único advogado é Jesus.

Fica claro que Maria não é mãe de Deus, antes fora escolhida por Deus para ser mãe do Salvador, nosso Senhor Jesus Cristo. Maria foi mãe biológica de Jesus quando homem.

O Celibato
Foi instituído em 386, por Sirício, bispo de Roma e mantido ainda hoje pela Igreja Católica. Consiste na proibição do casamento aos padres, monges, freiras e superiores. (é o voto de castidade).

Convém lembrar que os apóstolos eram casados (Pedro era casado). A Bíblia chama o sistema celibatário de "doutrina de demônios" ( 1 Tm 4.1-3). O celibato deve ser algo voluntário e não como condição para se tornar padre. Nem a igreja, nem o papa e ninguém tem o direito de proibir um direito concedido por Deus ao homem em Gên.2.18 e 1 Cor.7.2.
"Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher...( 1 Tm 3.2)

O Purgatório
Aprovada em 1439 no Concílio de Florença, mas já existia desde 1070. Ensina que cada cristão parcialmente santificado, passa por um processo de purificação através de um sofrimento punitivo para depois entrar no céu. Essa crença veio do paganismo e é muita antiga, não há espaço para ela na Bíblia. É uma doutrina que compromete todo o pensamento bíblico sobre a expiação dos pecados e obra da salvação que Jesus realizou no calvário.

Tal crença neutraliza o sacrifício de redenção e ensina que tal sacríficio feito por Cristo não fora suficiente para resgatar o homem. (1 João 1.17)
E por fim não há salvação após a morte. Devemos buscar a salvação enquanto há vida (Is 55.6). P Perdão dos pecados é só na terra.

O Papismo
Ninguém pode negar a influência política do papa entre as nações, por ser sozinho o chefe da segunda maior religião do planeta e por se tratar de um político religioso, mas biblicamente falando, esse cargo não existe. (desculpem-me).
A teoria de que Pedro foi o primeiro papa não resiste à análise bíblica, pois nunca pôde ser confirmado nem na Bíblia e nem na história.

Enfim conheça a Jesus Cristo o verdadeiro Senhor que nos libertou de nossas trangressões e nos fez assentar em lugares celestiais, o nosso único e exclusivo advogado merecedor de toda honra, glória e todo louvor.

Postado por Elder Cunha
Referência: Manual de apologética Cristã; Esequias Soares

Leia mais >>

19 de maio de 2009

Desmascarando a Teologia do Barulho Reteté

34 comentários

Gostaria hoje de esclarecer uma pergunta enviada pelo meu amigo e Presbítero Evaldo. Ele nos enviou a seguinte dúvida: “ Por que os crentes barulhentos se consideram pentecostais?”


Para responder essa pergunta, que por sinal é muito pertinente, lanço outra questão: O barulho é a marca de um cristão pentecostal?


Amigos e leitores, atualmente a marca que evidencia um cristão avivado está no estereótipo da pessoa e não mais na alma e no espírito. Por incrível que pareça, o quanto você mais berra, mais grita, mais se “esperneia”, caí no chão, dança no “espírito” (não sei em qual espírito), mais avivado e pentecostal você é!



A Palavra de Deus é tão clara quanto ao avivamento do Senhor. O avivamento não se caracteriza por aberrações, gritos, milagres, mudanças litúrgicas e etc.... Avivamento é muito mais que isso!

O verdadeiro avivamento é provocado pela Palavra de Deus e resulta na mudança de conduta da pessoa avivada. Tudo em sua vida se faz novo, todas as áreas de sua vida são afetadas e tão logo essa pessoa passa a desenvolver os frutos do Espírito. (Gálatas 5.22-23)


Notemos que os frutos do Espírito Santo são: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. (Observe esses dois últimos frutos). Uma pessoa cheia do Espírito é mansa e possui domínio próprio sobre si, ou seja, não age por impulsos, por emoções, menos ainda por sensações e tem seu temperamento controlado pelo Espírito do Senhor.


Interessante essa “Teologia do Barulho” desenvolvida pelos Neopentecostais. Quem nunca ouviu o famoso jargão: “Pentecostal que não faz barulho está com defeito de fabricação”. Não sei qual a finalidade dessa frase, mas uma coisa é certa: Deus é não surdo!


Deus não é surdo e muito pelo contrário a sua Palavra diz que Ele conhece todos os nossos pensamentos, nossos intentos e nosso coração (Salmos 139), sendo assim não haveria necessidade de “berrar” ao ouvido de Deus, pois o Senhor não procura gritos e sim verdadeiros adoradores que é adorem em Espírito e em Verdade (João 4.24)


Uma coisa é certa essa Teologia do Barulho nada mais é que puro misticismo criado por “cristãos” que não conhecem a Deus e tão pouco a sua Palavra. Chamamos de misticismo o conjunto de normas e práticas que tem por objetivo alcançar uma comunhão direta com Deus. O problema é que quase sempre, os místicos são induzidos a prescindir da Bíblia e se basear apenas em suas experiências.


Efetuando uma exegese do derramamento do Espírito Santo em Atos 2, verifica-se uma ordem e que os sons estavam legíveis ao público em geral. Disse o médico e historiador Lucas: “E correndo aquela voz, ajuntou-se uma multidão e estava confusa, porque cada um ouvia falar na sua própria língua”(AT 2.6)


Lucas destaca que ouve entendimento do que os discípulos de Cristo falavam, por parte dos viajantes que estavam em Jerusalém:”Todos os temos ouvido em nossas própria línguas falar das grandezas de Deus”(v.11). O versículo 13 diz que alguns zombaram do acontecimento, alegando que os discípulos estavam bêbados, isso significa que houve um barulho inelegível?


O versículo 13 indica que alguns não entenderam o agir do Espírito Santo, mas isso não significa um barulho rock-roll, verificado em muitas reuniões pentecostais, que mais se assemelham ao Maracanã em dia de clássico do que um genuíno culto cristão.

Paulo nos alerta em 1 Co 14.23:”Se, pois, toda a igreja se congregar num lugar, e todos falarem em línguas estranhas, e entrarem indoutos ou infiéis, não dirão, porventura que estais loucos?


Paulo demonstra uma preocupação em todo o capítulo 14, que deve haver uma ordem na línguas e profecias no culto, a fim de que todos sejam edificados.


O barulho é característica do culto pentecostal?
a)O culto pentecostal é racional (Rm 12.2). O culto barulhento, não dá lugar a reflexão e meditação.
b) O culto pentecostal tem ordem (1Co 14.40). Essa ordem não é de um cemitério, como dizia Apóstolo Paulo: os dons são exercidos com o propósito de edificar a igreja e não escandalizá-la.
c) O principal propósito do culto pentecostal é glorificar a Deus e edificar a igreja (1Co 14.26). Um lugar onde o barulho reina, não há lugar para a Palavra de Deus e nem para a edificação do próximo por meio de palavras inteligíveis.
d) Os dons espirituais, quando exercidos segundo as regras estabelecidas pela Palavra de Deus, não causam desordem ou bagunça (1Co 14.29-33);
e) o culto pentecostal é dinâmico, mas há lugar para uma liturgia (1Co 14.26). O culto é feito por homens guiados pelo Espírito de Deus, porém o homem é que oferece o culto, seguindo assim uma ordem(liturgia).


Não podemos negar que a presença do Espírito Santo em nossas vidas abala nossa estrutura corporal. Não posso negar que muitas vezes me exalto quando estou pregando a Palavra do Senhor, entretanto tenho a convicção que Deus não olha a aparência e sim o coração do homem (1 Samuel 16.7)


Deixemos de lado as loucuras dos homens e tentemos compreender a loucura de Deus que é a sua Palavra. (1 Co 1.21)


Para melhor compreensão leia o artigo: “O verdadeiro avivamento”

Elaborado por Pr Elder Cunha (eldersacal@hotmail.com)

Leia mais >>

16 de maio de 2009

Igreja: Organização ou Associação?

2 comentários

Amigos leitores, gostaria hoje de tecer uma reflexão a cerca da Instituição denominada Igreja.

Um novo milênio começou, colocando diante da igreja um tremendo desafio. A fundação da Igreja representou um momento definitivo da história da humanidade, pois através dela o Filho de Deus revelou ao homem a vontade do Pai, capacitando-o a uma reconciliação com o seu Criador. A expressão definitiva da obra reconciliadora realizada por Cristo manifesta-se pelo poder com que Ele revestiu a sua Igreja.

A Igreja de Jesus resistiu, ao longo dos séculos, a muitos intentos, ciladas, mortes, guerras e se manteve em constante crescimento. Ela se manteve firme diante dos ataques do Império Romano, dos povos bárbaros, do Império Otomano, dos erros e enganos dos falsos profetas e continuará resistindo aos ataques dos modernos e teologias complexas que tentam profanar a verdade pura revelada ao mundo.

A Igreja de Cristo é indestrutível, pois o próprio Jesus a firmou sobre a rocha e afirmou que as portas do Inferno (hades) não prevaleceriam sobre a sua Igreja. (Mateus 16.18).

A responsabilidade da Igreja é a de alertar o homem moderno quanto à sua necessidade de voltar ao ponto em que ele se perdeu, e dali partir por um novo caminho que o leve de volta à sua origem, que é Deus. A Igreja é uma organização, e a finalidade de uma organização é “fazer com que homens comuns realizem coisas incomuns. É se organizar em um sistema debaixo de normas e regras que visam o bem de todos. Tais normas e regras foram ditadas por Deus e nos organizamos por intermédio Dele. –basta ler a Bíblia .”

O propósito básico da Igreja é glorificar a Deus. Essa é a razão pela qual estamos neste planeta. No processo de nossa existência terrena, o propósito básico de Deus para nossas vidas não é o de fazermos um nome para nós mesmos, ou acumularmos riquezas, ou manobrarmos as pessoas de um lado ao outro segundo a nossa vontade. Ele nos permite termos sucesso, alegrias e benefícios em troca do nosso trabalho.

Dito essas coisas, resumidamente, afirmei que a responsabilidade da Igreja está em servir às pessoas sem exceção. “A igreja jamais deverá ser um museu para santos, mas um hospital para pecadores” (disse Morton Kelsey)
O termo servir, o classifico em: ajudar, evangelizar, auxiliar, doutrinar, ensinar, dar abrigo, disciplinar... Cristo veio a essa Terra para nos ensinar a servir e advertiu aquele que queria lugar de destaque o exortando a ser o maior servidor.

Afirmei ainda que o propósito da Igreja é glorificar a Deus, ou seja, somente Deus é merecedor de toda glória, honra e louvor e não homens, não eu e muito menos você. Entretanto vivemos um evangelho egocêntrico, onde queremos enaltecer o homem e não a Deus. Não o temos Deus como nosso Senhor, apenas como Salvador. Queremos ser salvo, mas não obedecê-lo, e tão pouco observar as regras da salvação.

A questão é que a igreja evangélica dos nossos dias aceita a graça na teoria, mas nega-a na prática. Não a proclamamos, não a compreendemos e nem temos vivido. E como refletir a glória de Cristo nestas condições?

Uma coisa é certa, a igreja deixou de ser uma organização e hoje se tornou uma associação. Em outras palavras, nos reunimos com objetivos comuns, visando superar as nossas dificuldades e gerar benefícios e ganhos. Esse é o evangelho de hoje, o evangelho egocêntrico e o da confissão positiva.

Diante desse quadro nos resta clamar por uma só coisa: “Aviva Senhor a tua Igreja”. Abaixo o que foi e representou o avivamento da Rua Azuza.

Por Pr Elder Cunha
eldersacal@hotmail.com

Leia mais >>

15 de maio de 2009

Fogo estranho? Corra disso...pois pode te queimar

0 comentários

Leitores e amigos o que está acontecendo com a Igreja de Cristo?

Recentemente participei de uma vigília realizada por uma conceituada denominação e o que vi e ouvi ali fora o suficiente para eu me esconder entre as cadeiras e as pessoas que ali estavam, pois tamanha era a vergonha e compaixão que senti por muitos ali.

Seria eu hipócrita em não dizer que fora uma madrugada abençoada e que saí dali transbordando de alegria e gozo do Espírito, porém certas pessoas movidas, não sei por qual “combustível” , quase acabaram com a vigília antes de seu horário normal. Na verdade o pastor que a presidia encerrou a vigília um pouco mais cedo.

A verdade é a seguinte: percebi que cada vez mais parte dos evangélicos estão vivendo um estranho tipo de evangelho. O sensacionalismo bem como o emocionalismo, fruto do chamado Reteté tem ditado em nome do Espírito Santo comportamentos absolutamente contrários aos ensinos bíblicos.

Em nome da experiência, doutrinas e práticas litúrgicas das mais RIDICULAS que têm se multiplicado em nossos arraiais - "Sapatinho de fogo, unção do cajado, unção do riso, unção do leão, unção da urina, unção do galo que profetiza, unção do kung-fu, atos e mais atos proféticos, atos apostólicos”- , entre tantas outras mais, me faz abordar esse assunto.

O que vi e presenciei é bíblico e damos o nome a tudo isso de “Fogo Estranho”.

Certa vez os filhos de Arão, Nadabe e Abiú, tomaram cada um o seu incensário e puseram neles fogo, e colocaram incenso sobre ele, e ofereceram fogo estranho perante o Senhor, o que não lhes ordenara. Então saiu fogo de diante do Senhor e os consumiu; e morreram perante o Senhor. E disse Moisés a Arão, isto é o que o Senhor falou, dizendo: Serei santificado naqueles que se chegarem a mim, e serei glorificado diante de todo o povo. Porem Arão calou se. E Moisés chamou a Misael e a Elzafã, filhos de Uzei, tio de Arão, e disse-lhes: Chegai, levai a vossos irmãos de diante do santuário, para fora do arraial. Então Chegaram, e os levaram nas suas túnicas para fora do arraial, como Moisés lhes dissera. (Leviticos 10.1-5)

Deus havia falado que o fogo a ser tomado tinha que ser do altar do Senhor (Lev.16:12) "Tomará o incensário cheio de brasas de fogo DO ALTAR, de diante do Senhor..."

Face ao exposto, afirmo que é Deus quem dita as normas e quem estabelece os meios. Deus não autorizou os filhos de Arão acrescentar mais nada ao culto e tão pouco estabelecer a forma de adoração, pois eles não estavam livres para fazer o que queriam. Será que eles não haviam dado conta que trazer fogo estranho seria uma falta de reverência a Deus? Seria uma falta de temor ?.

Qual era a intenção de Nadabe e Abiu? Profanar o santuário? Agir com falta de reverência no culto a Deus? Não sabemos, pois a Ecritura não nos revela, mas de uma coisa sabemos: Este acontecimento está registrado para que aprendemos com ele. (I Cor. 10:11) diz que estas coisas "...estão escritas para aviso nosso..." (Rom. 15: 4) diz ..."Porque TUDO o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito..."

Atualmente enfrentamos uma avalanche de inovações, devido a flexibilidade da religião cristã quanto a forma de adoração. Até aonde vai essa flexibilidade e aonde começa a falta de reverencia? A falta de temor? A falta de respeito e seriedade?

Qualquer um que tentar ter acesso à presença de Deus com base em suas próprias obras, maluquices e esquisitices não subsistirá. Claro que Deus não enviará fogo do céu para tirar a vida de certa pessoa, entretanto aqueles que praticam tais atos estão mortos no Espírito.

As brasas tinham que ser tiradas do altar onde o cordeiro havia sido queimado. A adoração o louvor, as orações e tudo que oferecemos ao Senhor (nosso culto racional), devem ser como incenso de aroma suave, fruto do próprio Espírito de Deus e com total embasamento bíblico. Por isso que Deus continua procurando verdadeiros adoradores – que o adorem em Espírito e em Verdade.

Pr Elder Sacal Cunha

eldersacal@hotmail.com

Leia mais >>

14 de maio de 2009

Pescadores ou empresários?

0 comentários

Amigos e leitores certa vez Jesus Cristo caminhando junto ao mar da Galiléia, avistou dois irmãos e disse-lhes: “Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens”


Século XIX nasce um homem, um célebre ganhador de almas. Cerca de 500 mil preciosas almas ganhas para Cristo é o cálculo da colheita que Deus fez por intermédio de seu humilde servo, Dwight Lyman Moody. Não seria exagero citar aqui que após a sua morte, os crentes se referem ao seu nome mais do que a qualquer outro nome depois da era apostólica.


Não gostaria de abordar sua biografia, entretanto evidenciar o fator que marcou o seu ministério – O Amor pelas almas perdidas.

Após a sua conversão, ainda jovem com os seus 17 anos, Moody resolveu visitar uma Escola Dominical e pediu permissão para ensinar uma classe. O dirigente respondeu que havia doze professores e dezesseis alunos e caso quisesse ensinar a alguém deveria conseguir trazer mais alunos à escola.


Foi uma tremenda surpresa, quando Moody, no domingo seguinte, entrou com dezoito meninos de rua, descalços e de roupa suja, mas todos com uma alma para ser salva. Continuou a levar cada vez mais alunos à escola, até que alguns domingos depois o prédio estava lotado e sem espaço suficiente. Em poucos meses essa escola se tornara a maior da cidade com cerca de 80 classes e 1.500 alunos.


O fator que marca o seu ministério é o amor pelas almas perdidas. Em sua biografia, Moody afirma ter feito duzentas visitas em um só dia e se expressou da seguinte maneira...” Oh! Delícia, a de levar uma alma das trevas deste mundo à gloriosa luz e liberdade do Evangelho!”

Moody foi um grande pescador de almas.

E hoje como temos nos portado diante da atual situação de nosso mundo? Os campos estão preparados, as vidas sedentas, porém há escassez de pescadores.


Abaixo artigo que extraí do blog de meu irmão e amigo "Daladier Lima", Evangelista em Desterro e Arco-Íris, Abreu e Lima/PE.

O texto faz referência a uma analogia de nossa presente vida.

“Havia um grupo chamado Confraternização dos Pescadores, que ficava numa área cercada de lagoas e rios cheios de peixes famintos. Os membros deste grupo reuniam-se regularmente para discutir a vocação da pescaria, a abundância de peixes e a empolgação de pescar. Eles estavam animados concernente à pescaria!

Alguém sugeriu que escrevessem uma filosofia acerca da pescaria, então, eles definiram o que ela é e o propósito em pescar. Descobriram que estavam tratando do assunto de forma invertida. Estavam vendo a pescaria do ponto de vista do pescador e não dos peixes. Perguntaram, como é que os peixes vêem o mundo? O que é que os peixes acham dos pescadores? Qual é a isca preferida dos peixes e quando é que ficam com fome? Eles queriam saber a resposta a estas perguntas.

Então, os membros desta Confraternização fizeram pesquisas e freqüentaram conferências sobre pescaria. Alguns viajaram longe para estudar outros tipos de peixes e seus hábitos diferentes. Alguns até obtiveram um doutorado na disciplina de pescaria. Mas nenhum deles foi pescar peixes.

Eles formaram uma comissão para enviar pescadores. Sendo que havia mais pesqueiros do que pescadores, outra comissão foi formada para determinar os locais prioritários. Uma relação dos locais prioritários foi colocada no quadro de avisos de todos os salões desta Confraternização. Mesmo assim, ninguém foi pescar. Uma pesquisa foi feita para descobrir por quê. A maioria dos membros não respondeu a pesquisa, mas, daqueles que responderam, descobriram que alguns sentiram a necessidade de estudar peixes, outros queriam somente fornecer equipamento de pescaria e alguns queriam viajar para motivar outros pescadores. Com tantas reuniões, conferências e palestras, ninguém tinha tempo para pescar.

João era um novo membro da Confraternização dos Pescadores. Depois de uma reunião animada, ele foi pescar. Tentou pescar, descobriu como fazer e pegou um peixe excelente. Na próxima reunião, ele falou da sua experiência e foi homenageado pelo que fez. Ele foi agendado para visitar todos os salões da confraternização para contar sua experiência. Devido a todos os convites e a sua eleição à Diretoria da Confraternização, ele não tinha mais tempo para pescar.

Logo, ele sentiu um vazio e desconforto no seu interior. Ele queria sentir mais uma vez o peixe puxando a vara. Ele cancelou todos seus compromissos, entregou seu cargo na Diretoria e chamou um amigo para ir pescar. Os dois foram pescar e pegaram muitos peixes. Os membros da Confraternização dos Pescadores eram muitos, havia uma abundância de peixes, mas os pescadores eram poucos.

Qualquer semelhança com nossas igrejas não é mera coincidência. As pessoas se habituaram a descrever as coisas ao invés de experimentá-las. É assim que existem tantos manuais de como ensinar e tão poucos verdadeiros professores, tantos livros sobre casamento e tantas uniões desfeitas, tantos lançamentos sobre a Bíblia e tão pouca prática da Palavra de Deus, tantos tratados sobre a verdadeira adoração e tão poucos adoradores. Hoje as pessoas não fazem por não saber, mas por não querer. Já são poucos os ceifeiros na seara, os adoradores nas igrejas, os salvos nas ruas. Esquecemos as palavras de Tiago: E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos (Tg 1:22). “ Daladier Lima


Que esse artigo possa despertar em você a vontade de ser um grande pescador e ganhar para Cristo peixes considerados perdidos e mortos por nossa sociedade e pela igreja local.


“Se estamos cheios do Espírito e de poder, um dia de serviço com poder vale mais do que um ano de serviço sem poder. Se estamos cheios do Espírito, ungidos, nossas palavras alcançarão o corações do povo.” Dwight Moody


Se Deus podia usar a Moody, Ele também pode nos usar

Pr Elder Sacal Cunha

Referências: Heróis da Fé, Orlando Boyer; Blog "Daladier Lima;

Leia mais >>

13 de maio de 2009

Levitas ou Ídolos?

11 comentários

Queridos leitores e amigos,


Recentemente uma amiga e irmã chamada Obed me incentivou a escrever esse artigo. Muitos não concordarão com minha posição, no entanto precisamos parar e refletir e analisar para onde temos ido com esse evangelho mercenário.


Não podemos negar a contradição em que vive a música cristã que atualmente chama-se música “gospel”. O universo gospel invadiu o Brasil, pois hoje qualquer música que não seja, do cantor cristão, da harpa cristã e entre outros, recebe o nome inglês de gospel, que traduzido quer dizer evangélico.


Não vejo nenhum problema nisso, mesmo porque a mensagem que a igreja evangélica passou ao longo de sua história, é uma mensagem de afastamento de pessoas. Como exemplo: crente não celebra natal; mulher crente não pode cortar cabelo; homem crente tem que usar terno e gravata para cultuar a Deus; o instrumento de bateria, guitarra, ou qualquer outro instrumento é coisa do diabo; ninguém pode bater palmas na igreja; etc. Diante de tudo isso a sociedade começou a ver nos crentes, pessoas alienadas, socialmente alienadas. No entanto algo começou a ser ventilado em nosso meio: “Como atingir a classe média, que está acostumada a uma vidinha um pouco melhor, que a classe pobre? E como atingir os ricos que tem uma vida melhor ainda?” Então a partir de 1980 a música passa a ser um meio pela qual muitas pessoas das classes A, B e C começaram a ser atingidas.


O fato porém que se constata, é que o universo da música gospel ganhou qualidade e notoriedade no mundo secular, de tal modo que muitos artistas seculares, que cantavam no “mundo” passaram a cantar nos púlpitos de nossas igrejas; além disso, os nossos louvores que seguiam um ritmo clássico de canto gregoriano, deram vez para novos ritmos como o regue, rock, pop, samba, pagode, hip-hop, sertanejo e hoje o batidão do funk. E ainda para completar esse “caldo” muitos e não foram poucos, se enriqueceram materialmente com isso.


Qualquer cristão que tem o mínimo de conhecimento bíblico entende que Deus odeia a idolatria. Em 1 Coríntios 6:9 Deus alerta que os idólatras não herdarão o Reino dos céus. Em outra parte das escrituras lemos: “Não terás outros deuses diante de mim”. (Êxodo 20:3)

Também é verdade que a Igreja precisa ter modelos, precisa ter exemplos de vida com Deus, exemplos em todas as áreas de liderança, pastoral, nas artes, missões etc. A estas pessoas chamamos de referenciais. Paulo era um referencial de sua época: “Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam”. (Filipenses 3:17). Precisamos ter líderes que nos dirijam, que nos abençoem, que nos ajudem a chegar aos níveis já alcançados por eles, que nos dêem um norte em Deus.

Referenciais têm um enorme poder de influência sobre as pessoas como um todo. É por isso que quando algum destes referenciais cai em pecado, muitas pessoas caem em desilusão e os mais fracos tendem a abandonar a fé. Em geral, o povo é abalado quando um líder ou um referencial de grande influência comete falhas em público. E quanto maior a “bomba”, maior é o estrago.

Um erro grandioso que a Igreja de hoje tem cometido e sofrido sérias conseqüências é o pecado da idolatria. E fazemos isso dando uma série de boas desculpas esfarrapadas. Por exemplo, quando quero idolatrar meu cantor gospel preferido, exaltando-o sobre as alturas, falo às pessoas que ele é um grande homem de Deus, um referencial para mim. Aí faço desta pessoa meu ídolo, tendo em casa um altar para ele, com todos os seus CDS e livros, com todos os seus artigos escritos, com uma foto autografada, uma camisa do fã-clube e outros apetrechos que farão parte do meu devocional a este ídolo. Assim a pessoa acaba se tornando um idólatra, tornado seu próprio irmão na fé num deus.


Não há outras palavras para se dizer uma verdade dura que já está sendo ecoada no Brasil: a Igreja brasileira fez de seus referenciais grandes ídolos como o bezerro de ouro erguido pelo povo de Israel no deserto (Êxodo 32:4). Isto nós fizemos e por isso estamos pagando um preço tão caro.

A Idolatria Evangélica Gospel Brasileira permitiu este show de horrores:

- Ídolos gospel que não “ministram” por menos de 15, 20, 30 mil reais.
- Ídolos gospel que decidiram por loucura própria fazer uma lista de exigências que nem Jesus, Paulo ou João fizeram quando exerciam seu ministério: hotéis 5 estrelas, frutas tropicais, água mineral de marcas específicas, dezenas de seguranças, carro blindado...

- Ídolos gospel que são indiferentes e preconceituosos com certas cidades, regiões, raças, e condição espiritual. Por exemplo: tem gente que não “ministra” em certos lugares porque há muita frieza espiritual, eles só querem “ministrar” em lugares que já estão “avivados” e em templos lotados.
- Ídolos gospel que se isolam da liderança espiritual de sua igreja para não precisar responder a ninguém sobre seus trambiques e pecados. Aparentemente chegaram num nível tão alto que não precisam mais de pastor e de igreja para acompanhá-los, agora podem caminhar sozinhos. Por isso temos visto tanto insubmissão e rebeldia em “ministério grande”.

Quem é o responsável por este show de horrores? Quem é o culpado? Penso que o culpado somos todos nós que fazemos parte da igreja pois temos alimentado nossos ídolos. Damos a eles o que eles pedem, e é por isso que as exigências aumentam a cada dia. Enquanto pagamos 25 mil reais pra um irmão cantar num evento, deixamos missionários morrerem de fome aqui no Brasil e lá fora. Quanta hipocrisia!


Quanto Jesus cobrou para exercer seu ministério e morrer na cruz por nós? Qual foi o cachê que Paulo cobrou para ser aprisionado junto com Silas nas piores prisões da época? Quais foram as exigências de nossos irmãos que morreram recentemente na China por não negarem o Evangelho? Quantas viagens Paulo negou por não atenderem suas exigências?

Uma coisa é certa, precisamos valorizar o belo, a arte e a cultura alicerçada na Bíblia, pois isso, é um dom de Deus; a música que faz parte dessa cultura está recheada nos textos sagrados; negar é entregar na mão do diabo aquilo que nos pertence, não obstante, ser um universo vulnerável aos intentos dele, pois, ele próprio, o diabo, queria pra ele todo o louvor. Se o cantor “gospel” desconhece isso, lamento, sua canção alentará a carne, e matará o espírito; e se a igreja não reconhecer o valor dos músicos que compõem músicas que nos ajudam na adoração a Deus, é avarenta e injusta e mesquinha, e se um cantor gospel maximinizar o famoso cachê em troca da comunhão, não é um adorador, mas, um artista que vive da música desvinculado de Deus, é hipócrita.


Deus, continua, procurando verdadeiros adoradores que o adorem em Espírito e em Verdade. Que abram mão de sua fama, de sua glória, de sua posição e de sua renda, entregando tudo isso à Ele, fazendo dEle o nosso maior Ídolo, pois somente Ele é merecedor de nossos aplausos e de toda Glória.


Amém?


Pr Elder Cunha

Referência: Site Vivos

Dúvidas? Escreva para mim: eldersacal@hotmail.com

Leia mais >>

12 de maio de 2009

A revolução sexual e a igreja

1 comentários

Olá queridos leitores e amigos,

Estava evitando tocar nesse assunto, porém a pedidos quero dedicar algumas postagens sobre o tema SEXO.

Como já sabemos ou se você ainda não sabe, o sexo citado na Bíblia, além da função vital e reprodutora é abençoado e estimulado entre os casais que firmam diante de Deus suas alianças, ou seja, casamento. Pertencer ao seu marido ou à sua mulher é mais do que uma oportunidade de maior conhecimento mútuo. É enriquecimento, demonstração do amor de um pelo outro, da lealdade e da cumplicidade.

Atualmente o problema das relações sexuais entre os “crentes” passa por um período turbulento, é o sexo fora do casamento, seja como solteiro ou descasado. No mundo moderno, onde se vê, a cada dia, mais e mais praticidade, casa-se e descasa-se assinando papéis, os “crentes” motivados por essa sociedade se molda dentro de seus padrões. O motivo é sempre o mesmo: é o impulso, o desejo, a atração ou simplesmente o tesão.

Homens e mulheres fiéis a Deus e verdadeiros crentes são vistos como “anormais” diante do mundo virado de ponta-cabeça desde a liberação sexual. Quem nunca ouviu a frase: “A moda agora é namorar pelado e beijar é coisa do passado”. Isso porque o prazer sexual, conforme as orientações bíblicas, deve ser canalizado para o casamento, mas não é o que tem acontecido. Seríamos hipócritas em dizer que não conhecemos nenhum casal “cristão” que conceberam filho(s) antes do enlace matrimonial.

É importante lembrar que, durante muito tempo, falar sobre sexo foi um tabu e inclusive dentro de muitas igrejas, hoje, continua sendo e por esta razão vimos uma geração de jovens voltado a libertinagem. Ou você afirmaria que nunca viu um casalzinho de jovens namorados no maior “amasso” e “esfregação” dentro da igreja ? Claro que já vimos, entretanto preferimos virar os nossos olhos, quando o correto seria a exortação na Palavra, pois para isso ela existe. II TIM. 3.16

Fora realizada uma pesquisa pelo Ministério Lar Cristão e após entrevistar cerca de cinco mil jovens solteiros de 22 denominações, entre os anos de 1994 e 2000, foi constatado que 52% deles, criados na igreja, já tiveram relações sexuais e mais a pesquisa revelou que metade desses jovens têm vida sexual ativa com um ou mais parceiros. Ou seja, muito prazer e NENHUM TEMOR A DEUS. Acredito que essa geração apela a Graça divina, pois essa resolveria qualquer problema no caso de “dor na consciência”.

E a Bíblia onde fica? Se você conhece e medita Nela certamente sabe o que diz. Veja o que diz:
Em I Tessalonicenses 4.1-8
“ Finalmente, irmãos, vos rogamos e exortamos no Senhor Jesus, que assim como recebestes de nós, de que maneira convém andar e agradar a Deus, assim andai, para que possais progredir cada vez mais.2 Porque vós bem sabeis que mandamentos vos temos dado pelo Senhor Jesus. Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição; Que cada um de vós saiba possuir o seu corpo em santificação e honra; Não na paixão da concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus. Ninguém oprima ou engane a seu irmão em negócio algum, porque o Senhor é vingador de todas estas coisas, como também antes vo-lo dissemos e testificamos. Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação. Portanto, quem despreza isto não despreza ao homem, mas sim a Deus, que nos deu também o seu Espírito Santo.”
1 Coríntios 7.1-5
“ Ora, quanto às coisas que me escrevestes, bom seria que o homem não tocasse em mulher; Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido. O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido. A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher.”
Gálatas 5.16-17
“Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis.”
Gálatas 5.19-21
“Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.

Acredito que esses versículos expressam claramente qual a vontade de Deus para as nossas vidas – nos mantermos puros longe de qualquer pecado. No entanto para a juventude não é fácil, pois existe o “lance” dos impulsos sexuais, porém não nos esquecemos de :

1 Coríntios 10.13

“Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.”

Andai no Espírito e corra de todo prazer carnal pecaminoso.
Jovens, solteiros e descasados não temam a vontade de Deus porque ela é boa, agradável e mais do que tudo, ela é perfeita.

Se você deseja maiores esclarecimentos entre em contato eldersacal@hotmail.com
Pr. Elder Sacal Cunha

Leia mais >>

10 de maio de 2009

Balada Gospel: Agito ou Egito ?

7 comentários

Olá leitores e amigos,
Vocês sabiam que agora culto da mocidade, chama-se " Balada Gospel", É mole! E com direito a luzes, gelo seco, luz negra, jovens com piercing, meninas, aliás “minas” com roupas justíssimas, jovens de camisetas, calças caindo e mostrando a cueca e o lance de “ficar”. Muitos irmãos ainda afirmam com convicção: “Prefiro ver o meu filho numa balada gospel do que numa balada qualquer”

Será que não está faltando Bíblia nessa Tuma? Ou será que sou "Zé Mané", "Babaca" e "Véio"?

Esta moda está “pegando”, a juventude está sendo levada por essa onda. Vídeos e mais vídeos na internet, convites e mais convites vinculados a página de relacionamento virtual. Será que Deus apóia este tipo de festa?

(1 Co 6.12 Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma elas ).

Nós cristãos que deveríamos sair do conceito do mundo fugindo de tais práticas, regredimos a um conceito distorcido com saudades do mundo. Como se não bastasse as nossas festas abençoadas, congressos com muita alegria do Espírito Santo, bênçãos, renovo, salvação de almas, etc

Não precisamos entrar na forma do mundo, e tão pouco precisamos do fermento do mundo para crescer em santidade, afinal somos o sal da terra e se o sal não traz o bom gosto, quem vai trazer?



Rm 12.1 Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.

2 E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.

Que tipo de cristianismo vivemos? Ao invés de incomodarmos ao mundo com nossa pregação e atos somos incomodados e contaminados pelo mundo.

Até a próxima balada....ops...postagem.

Pr Elder Sacal Cunha

Leia mais >>

On Line

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo
 

Copyright 2008 All Rights Reserved Revolution Two Church theme by Brian Gardner Converted into Blogger Template by Bloganol dot com

^